quarta-feira, 15 de julho de 2015

RESENHA: CAIXA DE PÁSSAROS

Segunda semana da Maratona e, seguindo as semanas temáticas, é “semana de thriller, suspense e terror”! Apesar de eu ainda ter algumas leituras pendentes da primeira semana, decidi mergulhar de cabeça na TBR para essa por estar extremamente curiosa e com muita vontade de ler os livros que separei.

Minha primeira leitura foi, portanto, Caixa de Pássaros. Com expectativas meio oscilantes sobre o livro, desde muito altas a razoavelmente baixas, consegui me surpreender com o quão aterrorizantemente boa foi ter lido a estreia de Josh Malerman. Vamos, então, a resenha completa!



Sinopse: Romance de estreia de Josh Malerman, Caixa de pássaros é um thriller psicológico tenso e aterrorizante, que explora a essência do medo. Uma história que vai deixar o leitor completamente sem fôlego mesmo depois de terminar de ler.

Basta uma olhadela para desencadear um impulso violento e incontrolável que acabará em suicídio. Ninguém é imune e ninguém sabe o que provoca essa reação nas pessoas. Cinco anos depois do surto ter começado, restaram poucos sobreviventes, entre eles Malorie e dois filhos pequenos. Ela sonha em fugir para um local onde a família possa ficar em segurança, mas a viagem que tem pela frente é assustadora: uma decisão errada e eles morrerão.

Se há uma coisa que me motiva a ler e me deixa, de certa forma, empolgada ao ler um livro é a quantidade de capítulos que ele tem. Quanto mais capítulos ele tiver, e capítulos curtos, mais necessária é continuar a leitura. Bem, dito isso, posso esclarecer que Caixa de Pássaros, possuindo mais de quarenta capítulos em suas menos de trezentas páginas, me deixou particularmente vidrada enquanto não via o fim. Mas, obviamente esse não foi o único motivo que me deixou tão centrada a ler.

Apresentando capítulos no tempo presente e passado, praticamente intercalados, assistimos a vida de Malorie, protagonista da trama, evoluir no novo mundo. Cética no começo, ela mal tinha noção que um caso insano de uma violência, ocorrido na Rússia, que se tornara viral na internet poderia ser o primeiro passo para o que se tornaria praticamente comum em todo o globo.

Se as vir, pode-se dar como morto. A mera visão das criaturas desencadeia em uma insanidade violenta que pode ferir não apenas a si mesmo como a pessoas ao seu redor – e, aparentemente, ninguém é imune.


No presente, a vemos fugindo com seus dois filhos, que nem nomes tem (ela não via o porque de se dar ao luxo de nomear os pequenos). Vendando as crianças e a si mesma, Malorie só sabe que é hora de arranjar um lugar melhor para eles viverem, mesmo que isso seja mais do que arriscado. Passara quatro anos naquela casa, criando as crianças (treinando, seria o termo correto), e sabe que ficar ali não ajudará em absolutamente nada.

O passado, contando o que ocorrera quatro anos antes, desde o início do surto, mostra como a população mundial se transformara nas ruínas que são agora. O aparecimento das criaturas torna-se frequente e constante, assim como os cadáveres nas ruas, as janelas cobertas por grossos cobertores ou papelão e as portas trancadas. Abrigo e um grupo de sobreviventes são tudo o que se poderia ter num momento desses.

A narração de Malerman deixa sem fôlego. Perdi as contas de quantas vezes tive que parar de ler e pegar o celular com a intenção mínima de tirar o enredo da cabeça nem que fosse por um segundo (e surtar sobre isso no Twitter, como foi possível ser visto por alguns amigos). Como thriller psicológico, ele cumpre seu dever: aos poucos é fácil se sentir claustrofóbico por se sentir quase parte do grupo de personagens.


Ter lido de madrugada definitivamente não ajudou em nada, me dando nervoso de roer as cutículas, levantar, andar pela casa, beber uma água, comer um chocolate e etc. Sou o tipo de pessoa que adora a sensação de se sentir nervosa e ansiosa com esse tipo de coisa, mas que fica tendo pequenas crises e surtos por conta do medo. Sabe aquela pessoa que vive assistindo a filmes de terror com a mão na cara, porque prefere sentir o medo e sofre porque gosta a não assistir ao filme? Então: eu.

Há muitas (muitas mesmo) críticas quanto ao final, como se ele tivesse arruinado todo o livro. Talvez, para algumas pessoas, esse deve ter sido o caso, mas no meu não. Senti apenas alívio e consegui respirar depois de terminar, fazendo todas as sensações terem valido a pena. É claro, os questionamentos são muitos, mas, ao menos, o final foi – de certa forma – digno. Apesar de ter ficado um pouco “mas o quê? Já acabou?” ao finalizar, com mil perguntas na cabeça, ainda assim me senti satisfeita: as dúvidas nos dão a liberdade de criar teorias sobre tudo.

CAIXA DE PÁSSAROS
Josh Malerman, 272 páginas
Editora Intrínseca, 2015
NOTA: ★★★★☆

A nota, na realidade, é 4,5. Mas, como no Skoob não há como marcar meia estrela (infelizmente), vou manter como quatro. É um livro intenso, trabalhado no medo, nos fazendo questionar como reagiríamos numa nesse tipo de situação.

E, para ser justa, é o exato oposto dos Weeping Angels, que aparecem em Doctor Who. O “não pisque” se torna “não abra os olhos”. Ao menos o segundo é um pouco mais confortável (só a curiosidade do que não podemos olhar que não seria, de fato)

Desculpem... Não pude deixar essa passar, hue!

ALGUÉM MAIS JÁ LEU E TEM TEORIAS SOBRE O LIVRO?

10 comentários:

  1. Heey!
    Eu estou louco para ler esse livro, já vi vários comentários positivos e acredito que vá ser uma leitura muito agradável!
    Com relação ao final, eu não gosto muito de livros que não esclarecem tudo, mas é como você bem disse, isso nos permite criar teorias.
    Abraços!!
    Blog - Desbravando o Infinito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, Guilherme, esse livro é demais! Eu não curto muito desfechos que me deixam com dúvida, mas o alívio que o final de Caixa de Pássaros me trouxe e as teorias que me fez criar valeram a pena, haha. Espero que consiga ler em breve... Me conte o que achou quando ler!

      Excluir
  2. ai. meu. Deus. PRECISO LER ESSE LIVRO, HELS! Tem tudo o que eu amo em um Thriller, tudo! E agora, sabendo realmente sobre o que se trata o enredo, fiquei ainda mais ansiosa para ler! Como proceder? Eu acho que não sobreviveria 2 dias nessa situação, quanto mais criar *treinar* duas crianças pequenas? E A COMIDA? MDS. Sim, estou surtando.
    Sua resenha ficou show! Amei muito.

    Beijos <3
    http://umaleitoravoraz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu COM CERTEZA não sobreviveria numa situação dessas nem que a vaca tussa! Ficaria louca sozinha, certeza. E A COMIDA, EXATAMENTE. COMO TREINAR CRIANÇAS E ARRANJAR COMIDA, GEMT! Esse livro me deixou louquíssima e desesperada, quase me descabelei lendo, juro SHUAHSAHUSHUA. Que bom que gostou, Gabs! <3

      Excluir
  3. Nossa, fiquei sem fôlego só com a resenha, imagine com o livro! Fiquei bem curiosa quanto a essa leitura, como estudante de Psicologia é de se esperar que eu adore qualquer tipo de leitura que envolva essa coisa mais psicológica, principalmente envolvendo crianças, pois quero seguir na área pediátrica. E essa comparação com os Weeping Angels? Como boas whovians que somos não podemos deixar esse tipo de oportunidade escapar, né? Hahaha
    Amei a resenha, você escreve super bem :)
    Beijo

    www.blogrefugio.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu apoio total você ler, Ceci! Psicologia deve ser um ótimo curso, pelo jeito você está gostando bastante, né? Haha. E não, não pude deixar passar, por mais irritante que eu acabe ficando por tudo me lembrar Doctor DJKSAJFKSAJ! Não tenho culpa, eu lendo era "nossa se fossem os weeping angels todo mundo ia morrer por ter piscado, socorro" DAKJFAJKLFASKL. Obrigada, de verdade <3!

      Excluir
  4. Também li Caixa de Pássaros na maratona, e realmente é muito legal, tem uns momentos super tensos, meus ombros chegaram a ficar doloridos,
    Eu também gostei do final, sei la, da para sonhar que um dia o autor retorne a esse livro e nos diga mais sobre o mundo que ele criou, mas mesmo que ele não volte foi um fina que me satisfez.
    Té mais ^^

    www,poyozodance.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, esse livro é para deixar qualquer pessoa tensa! E o final deu um alívio que nem tem como descrever haha. Eu também espero que um dia o Malerman decida voltar e nos explicar melhor essa história... Mas mesmo que não faça, deu um final digno a história, mesmo com as milhares de perguntas!

      Excluir
  5. amei a sua resenha e amei o blog se vc puder seguir o meu ficarei mt grata bjs e continuarei a visitar seu blog
    http://amorporlivroos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, obrigada. E claro, já dei uma olhada no seu blog! <3

      Excluir