quarta-feira, 5 de agosto de 2015

RESENHA: O HISTÓRICO INFAME DE FRANKIE LANDAU-BANKS

Boa tarde, migos! Como foi a volta as aulas de vocês? Se é que vocês estão em aulas, assim como eu, né, ha. Minha primeira semana de aula anda bem tranquila, como eu já imaginava, então não tenho muito o que reclamar.

Hoje é quarta-feira, o que significa que é dia de resenhas! Sim, no plural, pois trouxe duas. A minha ideia é ter sempre duas resenhas por quarta-feira, apesar de ter dito que possivelmente seria a mesma escrita e em vídeo... Mas não vi muito sentido em fazer isso, portanto serão duas diferentes toda semana (yay!).

Uma delas, a de Love, Rosie (ou Simplesmente Acontece), vocês podem conferir em vídeo no canal do YouTube clicando aqui. A outra é de O Histórico Infame de Frankie Landau-Banks, que está a seguir, que foi escrita quando li o livro, ou seja, no ano passado (acho). Assim como O Futuro de Nós Dois, esta faz parte das que estou estou adaptando e repostando, por ser uma das minhas resenhas “favoritas”.


Sinopse: Aos catorze anos, Frankie Landau-Banks era uma menina comum. Gostava de ler, participava do Clube de Debates e era a princesinha da família. Mas nas férias de verão ela se transforma: de repente surge uma garota cheia de curvas, com uma beleza inusitada. E essa transformação física vem acompanhada de uma mudança de atitude: Frankie já não aceita um “não” como resposta. Principalmente quando esse “não” significa que ela não pode participar da sociedade secreta da qual seu namorado faz parte, só porque é menina. Usando todas as suas habilidades (e alguns conhecimentos adquiridos nas aulas), Frankie criará artimanhas para provar que pode ser ainda mais genial que os membros da Leal Ordem dos Bassês. E a escola logo se tornará palco de pegadinhas até então inimagináveis

Após dois meses de férias de verão, Frankie deixara sua inocência de princesinha de catorze anos para assumir a garota que sabe exatamente aonde quer chegar, com quinze anos. Dois meses foram o suficiente para causar diversas mudanças na menina que costumava ter a aparência de uma garota normal em fase de crescimento, para uma adolescente com um corpo bem delineado; e com isso viera a mudança de atitude e personalidade.

Frankie, cujo pai era estudante da Alabaster e membro de uma sociedade secreta para garotos, Leal Ordem dos Bassês, demonstra sua força e inteligência ao longo de todo o livro. É um grande fato que, apesar da narração em terceira pessoa, podemos ver perfeitamente como algumas atitudes não condizem ao que a garota pensa – ela é uma ótima atriz, como poderemos ver pelas suas tramas.

Após o primeiro ano como uma simples garota nerd, parte do clube de debate, leitora assídua e conhecida como “a irmã mais nova de Zada”, Frances retorna a Alabaster como uma nova pessoa. É claro que ainda gosta de debater, gosta de ler, ainda é uma “nerd”, porém agora que crescera consideravelmente nos poucos meses do verão, ela chega com os pensamentos um pouco diferenciados. O fato é: agora que é considerada uma garota bonita, de aparência que chama atenção dos meninos, Frankie quer mostrar que é mais do que um rostinho bonito para ser apreciado.




O que ela não sabia, porém, é que a Leal Ordem dos Bassês – que se mantivera mais oculta nos últimos anos – ainda existe. E, para completar, seu mais novo namorado, Matthew Livingston (um aluno do último ano), é membro. Como já dito, a sociedade é voltada apenas para garotos, portanto Frankie se vê simplesmente descartada com certa facilidade por Matthew: ele a deixa e desaparece para ir a encontros com os outros membros, guarda segredos (“se mantém leal”, nas palavras dele) e a acha “inofensiva”.

Com base em pesquisas que faz para trabalhos escolares, Frankie se demonstra mais inteligente e perspicaz do que todos esperam: cria artimanhas, controla todas as travessuras da Leal Ordem sem eles nem mesmo saberem. É claro que isso pode trazê-la problemas, mas a necessidade de mostrar que é mais do que pensam – mesmo que ninguém saiba que ela é a “cabeça pensante” de todos os planos – é o que realmente importa.


O HISTÓRICO INFAME DE FRANKIE LANDAU-BANKS
E. Lockhart, 344 páginas
Editora Seguinte, 2013
NOTA: ★★★★☆


Com um toque de um pensamento mais feminista, O Histórico Infame de Frankie Landau-Banks é mais do que um livro típico para jovens adultos, nos ensinando e fazendo pensar em muitas coisas (como, por exemplo, a arquitetura do Pan-Óptico: a ideia de que você está sendo constantemente observado quando possivelmente não está).




Absolutamente “Brilhante!”, como diria a opinião de John Green, autor de A Culpa é das Estrelas, na contracapa. A queda da nota só se deu por algumas cenas em que Frankie não prendera tanto minha atenção quanto achei que faria.

E. LOCKHART ME IMPRESSIONOU COM SUA ESCRITA
ALGUÉM JÁ LEU ALGUM LIVRO DELA?

2 comentários:

  1. Já ouvi falar da Lockhart, mas ainda não li nada dela. Na verdade, nem sabia ao certo qual era seu gênero. Não costumo me atrair pelo tipo de personagem que a principal parece ser, mas o enredo em si parece no mínimo divertido e fiquei hipercuriosa para saber por que esse nome, "Leal Ordem dos Bassês", rs. Acho que só o nome já me ganhou a atenção.

    Beijos,
    Anita
    http://grumpyreaders.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou curiosíssima para ler Mentirosos, dizem que é muito bom, haha. Eu gostei bastante da Frankie apesar de não gostar muito do jeito dela em alguns momentos... Em outros ela se demonstra maravilhosa, XD E é bem legal o livro e toda a historinha dessa sociedade secreta, haha. Obrigada pela visita!

      Excluir